sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011 15:54h Flávia Brandão

Vereador Beto Machado não descarta totalmente saída do PSDB

Parlamentar afirma que desfiliação de seu assessor Tibério foi de cunho pessoal

A saída do assessor parlamentar do vereador Beto Machado, que o acompanhava desde o início do mandato, dos quadros do PSDB, levantou especulações, que o edil poderia seguir o mesmo caminho. Em entrevista à Gazeta, o tucano, que no seu histórico parlamentar conquistou a simpatia da oposição - Edson Sousa (PSB) e Heloísa Cerri (PV) - explicou que tudo são especulações, no momento. No entanto, revelou insatisfações vividas no ninho tucano e disse estar avaliando a situação e qualquer decisão tomada será feita pela razão e com embasamento jurídico consolidado.
O assessor de Beto, Marcellus Franklin (Tibério), explicou que a decisão de desfiliação foi devido a um episódio desagradável envolvendo o vereador Rodyson do Zé Milton (PSDB). “Participei da reunião interna do PSDB prestando serviços de assessoria ao vereador Beto Machado e a minha presença foi questionada pelo vereador Rodyson. Achei indelicada a forma como ele me questionou achando por bem desfiliar”, explicou.
Tibério destacou que o episódio foi um “fato isolado” e que hoje tem grandes amigos na sigla, mas acredita que no momento sua militância não soma a legenda e preferiu deixar o quadro no intuito de não criar uma aresta ainda maior.  “Conquistei vários colegas, tem cinco campanhas, que eu acompanho o deputado Domingos Sávio”, declarou. No momento, o assessor disse que não irá filiar a nenhum partido.  “Continuo com Beto prestando serviço com lealdade e tudo, mas militância política até pelas minhas atividades paralelas profissionais ao mandato, eu preferi não assumir compromisso com nenhum partido”, declarou
A reportagem questionou a Beto Machado se esse desligamento de Tibério sinaliza também uma futura mudança dele e em resposta explicou que a decisão do assessor é de cunho pessoal. "Foi uma decisão pessoal do meu assessor, ele se sentiu constrangido em uma reunião, o que realmente o fez abandonar os quadros. Mas não reflete a nossa situação, mas com certeza nos deixa triste o que ocorreu com ele”, declarou. O vereador destacou da mesma forma que convidou Tibério para ir para o PSDB deixou ele agora livre para tomar essa atitude.
Futuro
Questionado se continua firme como tucano, Beto Machado respondeu: “na verdade estávamos avaliando e qualquer situação ou decisão será feita com embasamento jurídico e pela razão e não pela emoção. Temos que vislumbrar o que é melhor para Divinópolis. Isso tudo será pesado e veremos então se continuamos nos quadros do PSDB, se sai ou busquemos um consenso”.
Decisão
A reportagem questionou ainda ao parlamentar se hoje ele se sente feliz no PSDB e Beto expressou que existem situações favoráveis e outras que o deixaram realmente insatisfeito e magoado, sendo que as mesmas foram noticiadas pela mídia divinopolitana. “Isso tudo será avaliado para que possamos tomar a iniciativa e decisão agora nesse período de recesso da votação do orçamento e também da Mesa Diretora”, declarou.
Dentro das situações desagradáveis, o edil cita o processo de eleição da Mesa Diretora no final de 2010 e o que ocorreu recentemente. “Ano passado isso foi notório foi uma situação que colocamos até para o partido. E esse ano também ocorreram algumas situações, que tanto é que me fez afastar do processo, por não concordar que o gerir um orçamento de R$ 10 milhões não seja prioridade”, declarou.  O vereador criticou as ameaças e acordos, que são comuns ao processo ao invés do foco no interesse da gestão correta do dinheiro público.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.