quarta-feira, 14 de Dezembro de 2011 11:07h Atualizado em 14 de Dezembro de 2011 às 13:05h. Flávia Brandão

Proposta de Polo Turístico região dos Shoppings

A proposta de criação de um Polo Turístico, na região dos shoppings, próximos a rodoviária, foi palco ontem (13) de divergências entre os tucanos Beto Machado e Rodyson do Zé Milton. Como autor do projeto, Beto Machado, defendeu a importância da votação

 A proposta de criação de um Polo Turístico, na região dos shoppings, foi palco ontem (13) de divergências entre os tucanos Beto Machado e Rodyson do Zé Milton.  Como autor do projeto Beto Machado defendeu a importância da votação ainda esse ano para garantir os recursos do ICMS Turístico, já Rodyson se mostrou inseguro quanto a proposta defendendo um debate ampliado com entidades de classe envolvidas no setor confeccionista e inclusive citou que hoje está em andamento a investigação da denuncia de R$ 200 mil, que foi levada a Casa por Machado.


Beto Machado (PSDB) afirma que houve por parte de Rodyson “uma distorção do projeto” já que a questão da CPI envolve um caso individual e o projeto é para beneficiar o coletivo, ou seja, toda região.  Beto argumenta que a proposta já recebeu pedido de sobrestamento de 30 dias, mas nesse período nenhum vereador emendou ou manifestou sobre a proposta. “O projeto estava apto para ser votado hoje, no entanto o vereador Rodyson vem com essa distorção a respeito da questão da CPI, que tramita nessa casa, que evidentemente terá outra situação completamente diferente de um terreno em específico. Nesse caso, aqui o projeto institui o polo turístico em toda a região”, declarou.


ICMS Turístico


Beto Machado afirma que é importante que o projeto seja votado em 2011, para que o município  possa ser contemplado com o ICMS Turístico,  em 2012. “Tudo que se investir ao que tange a segurança, pavimentação, a drenagem pluvial, construção de equipamentos públicos ali. Isso tudo será revertido através do ICMS turístico, ou seja, basta que o município apresente o que está sendo investido em turismo, que ele recebe a contrapartida do ICMS turístico”, declarou Beto


Entidades de classe


Já o vereador Rodyson avalia que essa polemica do projeto do polo turístico tem que ser discutida com as entidades do setor confeccionista e empresariais como: ACID, Sinvesd, CDL e sindicatos.  “Não sou contra o projeto, mas acho que temos que discutir melhor com as entidades, para acharmos um denominador comum e avançarmos. Fico preocupado com os demais empresários da cidade canalizando esse recurso para entorno do complexo da rodoviária. Temos que focar um complexo amplo e não tendencioso para a região”, declarou.


CPI


Questionado porque citou durante seu pronunciamento a CPI para apurar a propina de  R$ 200 mil, que foi levada a Câmara Municipal, no início do ano, pelo vereador Beto Machado envolvendo os terrenos da região dos shoppings. Em resposta, Rodyson afirmou que não disse que o projeto tem a ver com a denúncia, mas disparou a afirmação contra Beto Machado: “eu acho muito interessante por que o mesmo que fez a denúncia está canalizando esse tipo de projeto para recurso nessa região”.


Ajuda política


Rodyson afirma que tem gravado no seu telefone uma conversa realizada em uma reunião realizada dentro do Divishop, onde é prometida “ajuda política” a quem ajudar os empresários no projeto de estacionamento do Divishop. “Ali é um terreno, que tem várias proprietários particulares, eles compraram, pagam impostos, são deles. Eles querem que desaproprie essas pessoas e a Prefeitura indenize e o valor é altíssimo, acima de R$ 5 a R$ 6 milhões”, declarou.


O edil reconhece a importância do complexo da região pela geração de renda e empregos, mas pontua que hoje a Prefeitura carece de dinheiro público para várias demandas da população e nesse sentido os empresários do shopping poderiam colaborar na missão com contrapartidas, sendo que será retirado dinheiro público para construção de um estacionamento particular.


Projeto tendencioso


Rodyson avalia que o projeto está sendo “tendencioso para algum empresário” e gostaria de aprofundar melhor na proposta.  “Temos que estudar mais porque dinheiro público tem que ser resguardado. Não quero fazer falso juízo de alguma coisa, mas eu acho que o projeto é interessante é bom, mas tem que ser melhor discutido”, declarou. Além da proposta de ampliar o debate, Rodyson argumenta que devem ser apresentados projetos para ampliação e melhorias de trânsito, segurança e infraestrutura (iluminação, drenagem, etc) e todos os mecanismo para melhorar a região e não simplesmente tornar o local em polo turístico comercial, sem resolver o problema da região.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.