terça-feira, 13 de Dezembro de 2011 13:13h André Bernardes

Prefeitura pretende arrecadar R$300 mil com leilão

A Prefeitura Municipal de Divinópolis realiza nesta quinta feira, 14, às 10h da manhã o segundo leilão de bens inservíveis para o município. Serão 21 lotes de produtos leiloados de produtos que não utilizados pela prefeitura.


O primeiro leilão foi realizado no dia 19 de maio no auditório da SEMUSA, na Avenida Rio Grande do Sul, esquina com a rua Minas Gerais. Foram arrecadados na época R$180 mil com 50 lotes de produtos leiloados. De acordo com Marco Aurélio Oliveira, secretário adjunto de administração, esse segundo leilão tem materiais com valores maiores, o que pode gerar um valor para cofres da prefeitura em média de R$300 mil. “Como houve um curto prazo entre um e outro estamos fazendo apenas 21 lotes, entre eles máquinas, duas retro-escavadeira, trator de esteira, tanques, sucata ferrosa, televisões, geladeiras, microondas. Além de um veículo” contou. O leilão será realizado no mesmo local e nos mesmos moldes do anterior. “As pessoas interessadas poderão visitar o pátio da prefeitura para visualizar os bens. Esperamos que todos os lotes sejam arrematados, mas devido alguns produtos que temos, esperamos arrecadar  por volta de R$300 mil. As máquinas estão funcionando, algumas precisando de reparos pequenos. No primeiro leilão tivemos licitantes de Uberlândia, São Paulo. Esperamos repetir o sucesso” disse Marco Aurélio.


Segundo o secretário, o dinheiro arrecadado vai para o cofre geral da prefeitura para a aquisição de novos materiais. Marco Aurélio explica que os bens que vão para o leilão passam por uma análise técnica de desvalorização. “Nós temos o setor de patrimônio da prefeitura, onde é dado a entrada de todos os bens na prefeitura e com tempo entram em desvalorização. Tecnicamente desvaloriza 10% a cada ano e o Tribunal de Contas do Estado diz que depois que o produto tornar inexistente tem que ser trocado. As vezes o reparo fica mais caro que adquirir um novo. Aí pegamos esses bens que não servem, separamos em lotes e colocamos em leilão para adquirir novos. É uma transição. Nós visamos sempre aparelhar da melhor forma a estrutura da prefeitura. Esse dinheiro é investido em novos bens” explicou. Qualquer pessoa, exceto servidores públicos podem participar do leilão.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.