terça-feira, 13 de Dezembro de 2011 13:19h André Bernardes

Farmácia do SERSAM não fará atendimentos externos

A partir de janeiro, os pacientes que pegam seus medicamentos no Serviço de Referência em Saúde Mental SERSAM, terão que recorrer às farmácias municipais próximas a suas casas. A mudança visa reinserir os pacientes psiquiátricos na sociedade e poder dar um melhor atendimento para os pacientes que estão internados no SERSAM.


Os pacientes que apenas buscam os remédios no órgão terão que procurar as farmácias mais próximas de sua residência para buscar o medicamento. Com a mudança, a Secretaria Municipal de Saúde, SEMUSA, quer inserir o paciente psiquiátrico na sociedade e facilitar a vida dos familiares, já que muitas vezes precisavam atravessar a cidade para buscar medicamentos. Taís Bueno, Referência Técnica, explica que as farmácias estão em um momento de transição. “Os medicamentos irão ficar mais próximos da casa do paciente. Eles já estão disponíveis nas farmácias” explicou. Segundo Taís, a farmácia do SERSAM faz em média 2 mil atendimentos mensais e só atenderá os pacientes que tomam o medicamento no local. “Assim a farmacêutica poderá fazer um trabalho com mais atenção aos pacientes do Centro de Assistência Psicosocial, CAPS dando uma orientação maior” explicou. Para receber as novas demandas, as farmácias municipais não passaram por nenhuma reestruturação. Apenas receberão um estoque maior dos medicamentos.

 

 

Inserção

 

O objetivo da SEMUSA é que a população encare o paciente mental como um doente comum. Nas  farmácias este pacientes não terão atendimento diferenciado. Assim terão um contato social maior. Como o SERSAM atende todo o município, pacientes às vezes tinham que se deslocar de bairros distantes para pegar o medicamento. Com a mudança, a farmácia do SERSAM deve atender em média 70 pessoas por dia que ficam internadas no local e receberão um atendimento mais próximo da farmacêutica do local. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.