quinta-feira, 22 de Dezembro de 2011 10:15h Atualizado em 22 de Dezembro de 2011 às 17:49h. Flávia Brandão

Beto Machado deixa disputa à presidência do Legislativo

Militão afirma que decisão do tucano é de cunho pessoal e não teve interferência do PSDB

Beto Machado (PSDB) está fora da disputa à sucessão da presidência da Câmara Municipal de Divinópolis. O edil que desde o início do processo se classificou como um “candidato natural”, visto que perdeu apenas por um voto a última eleição da Mesa, em dezembro de 2010, se restringiu a fazer o comunicado da decisão por meio de nota oficial em seu site ( www.betomachado.com.br) sem dar maiores esclarecimentos a imprensa. O presidente do PSDB, Luiz Militão, declarou que a decisão foi pessoal e não teve nenhuma interferência da sigla.
  Na nota, o vereador coloca como justificativa da sua saída: “o rumo tomado na eleição da mesa diretora da Câmara Municipal de Divinópolis, onde prevalecem acordões, ameaças, guerra entre oposição e situação”. Nesse contexto, o tucano alega que prezando por seus “valores éticos e morais, pautados na coerência, ética, transparência, honestidade e lealdade” e buscando o consenso não poderia insistir em uma disputa com os critérios atuais e recordou inclusive que é autor do requerimento encaminhado a atual Mesa, onde solicita mudança no processo e transparência nas próximas eleições.
  O tucano criticou que a Mesa Diretora é responsável por gerir o montante de cerca de R$ 10 milhões, além do patrimônio do Poder Legislativo e toda equipe de funcionários e tamanha responsabilidade não tem critérios coerentes para ser realizada sendo que da “noite para o dia” são eleitos os gestores sem propostas de gestão, currículo, ou biografia a ser apresentada aos demais vereadores, imprensa e população. Apesar de alegar que sai disputa, o tucano deixa  recado que está a disposição: “Saio da disputa, porém deixo meu nome e minhas propostas à disposição de todos aqueles, que entenderam minha real intenção (...) fica a critério dos senhores vereadores a minha eleição ou não para gestão de 2012”, declarou.

Várias reuniões

Antes da decisão de Beto Machado, o presidente da sigla Luiz Militão afirmou a reportagem da Gazeta que várias reuniões estavam sendo realizadas internamente no partido e na base de Vladimir para chegar a um candidato de consenso para a Mesa.  Ressaltou a importância de articular com o PR, de Jaime Martins, que tem Anderson Saleme, diante da atual conjuntura, não só para a governabilidade na base, mas, sobretudo para outros projetos que os partidos possam construir juntos, como por exemplo, a reeleição Vladimir, a reeleição dos deputados, etc. Além disso, discordou da visão de Edmar Rodrigues (PSD) que disse que se fosse o prefeito seria interessante ter um vereador da oposição como Edson Sousa na presidência facilitando a votação de propostas. “O presidente tem suas prerrogativas, seu direitos e poderes, enquanto presidente, penso diferente e acho que é preciso ter alguém afinado com o projeto de reeleição do prefeito”, pontuou.

Posicionamento


Procurado ontem pela reportagem Militão disse que a decisão de Beto não teve nenhuma interferência do PSDB. “Na nota ele relata todos os motivos que o fizeram deixar a disputa. Foi uma decisão pessoal derivada de uma percepção interna dele na Câmara”, declarou. O presidente disse que toda decisão que for tomada pela sigla, Beto Machado será comunicado. “Não iremos dar nenhum passo sem conversar com ele”, pontuou.


Consenso


O tão esperado consenso, segundo Militão não foi alcançado podendo ter seu desfecho momentos antes da eleição da Mesa prevista para sexta-feira (23). Questionado se com a desistência de Beto, Anderson Saleme seria o candidato apoiado pelo PSDB - considerando a citada construção do projeto com o grupo de Jaime -  Militão se esquivou e disse que o assunto será discutido com a base, podendo ser Edmar Rodrigues, Anderson ou outros vereadores.  
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.