sábado, 26 de Novembro de 2011 15:45h Atualizado em 29 de Novembro de 2011 às 10:18h. André Bernardes e Paulo Reis

Tragédia no ar, acidente está sendo investigado

Um avião monomotor caiu na tarde deste sábado na comunidade Bom Jesus do Angico, na zona rural de Carmo do Cajuru. Os dois ocupantes da aeronave morreram. As causas do acidente ainda serão apuradas, mas o mal tempo pode ter sido um fator para a queda


Um avião monomotor caiu na tarde deste sábado na comunidade Bom Jesus do Angico, na zona rural de Carmo do Cajuru. Os dois ocupantes da aeronave morreram. As causas do acidente ainda serão apuradas, mas o mal tempo pode ter sido um fator para a queda.


A aeronave modelo CIRRUS SR22-G3   prefixo PR LJL decolou no início da manhã de hoje do aeroporto Carlos Prates de Belo Horizonte com destino a Piumhi, sendo que poucos minutos depois perdeu o contato com a torre de controle. Foi feito um contato do aeroporto Carlos Prates com o aeroporto de Divinópolis, procurando informações sobre a aeronave ou até mesmo uma aterrissagem na região. Moradores da comunidade rural disseram que o avião estava voando baixo e desgovernado. Depois apenas escutaram o estrondo no meio da mata. O Tenente Antônio Carlos Teixeira, de Carmo do Cajuru disse que foram encontrados documentos no meio dos destroços do avião, porém só a perícia poderá confirmar a identidade das vítimas. Os corpos encontrados seriam de Rosylaine Elizabeth Soares, 46 anos, e do empresário Lício José Lopes, 53, dono de pousadas na cidade de Ouro Preto. Eles pretendiam ir para um resort na cidade de Formiga. “Foi acionada a perícia de Divinópolis e segundo informações dos peritos, esse é um tipo de procedimento especializado. Então nós estamos fazendo o isolamento do local, recolhendo os corpos, os documentos pessoais que podem se perder” explicou o Tenente. A Polícia Militar isolou o local. Uma equipe de peritos da Aeronáutica irá ao local do acidente neste domingo, 27, para recolher materiais que poderão elucidar os motivos da queda.


A reportagem da Gazeta esteve no local do acidente. Pedaços da aeronave estavam espalhados pela mata junto aos restos mortais das vítimas. Uma multidão de curiosos estava no local para ver o acidente. A perícia, bombeiros e polícia trabalhavam debaixo de chuva com o solo escorregadio. De acordo com informações de uma perita, foram encontradas garrafas de bebidas alcoólicas destampadas e salaminhos para petiscos,sendo mais um dado que pode esclarecer as causas da queda.


O piloto Licio Jose Lopes, era do ramo hoteleiro da cidade de Ouro Preto, proprietário dos Hotéis: Mirante Hotel, Solar da Ópera e Pousada Clássica. Numa página de Lício José Lopes, num site de relacionamentos, o empresário publicou uma proposta para a compra da aeronave no valor de U$380mil.

 

AERONÁUTICA BRASILEIRA

No início da tarde do último domingo (27), uma equipe do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) esteve no local do acidente ocorrido com o Cirrus SR 20, em Bom Jesus de Angicos, na comunidade de Olhos D’água, zona rural de Carmo do Cajuru.
Um grupo da Força Aérea Brasileira (FAB) deu prosseguimento às investigações sobre o acidente do monomotor de propriedade de Lício Lopes. Os corpos das vítimas já foram liberados e levados para Ouro Preto.


O grupo da FAB, do Rio de Janeiro, chegou ao local por volta das 13 horas, juntamente com uma equipe da Polícia Civil de Belo Horizonte, especializada em acidentes aéreos, para fazer a perícia.


Segundo os profissionais da FAB, as investigações começaram com base no depoimento de moradores da região, mas eles não descartam a suspeita de pane no motor e as más condições climáticas, já que o piloto fazia um vôo visual e chovia muito na hora do acidente. Lício José Lopes tinha licença e pilotava há quatro anos. Não é confirmado se o piloto tinha habilitação IFR (Condições de Vôo por Instrumentos), apenas que o plano de vôo era visual, (VFR - Condições Visuais de Vôo). A aeronave PR - LJL, modelo SR20 era homologada para vôos IFR)
Conforme a Anac, a aeronave PR - LJL, modelo SR20, foi comprada em outubro deste ano. O modelo americano tinha capacidade para um tripulante e 3 passageiros.


As investigações sobre o acidente seguem com a equipe do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), que faz parte do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). A Polícia Civil tem prazo de conclusão de 30 dias.
Nossa reportagem tentou entrar em contato com a Assessoria Regional da Infraero que fica no aeroporto de Confins em Belo Horizonte, que não atendeu a nenhuma de nossas ligações.


Os corpos das vítimas foram liberados da funerária de Carmo do Cajuru e seguiram para Ouro Preto. O piloto Lício José Lopes foi velado na Associação Comercial de Ouro Preto e enterrado ontem (28), às 10 h.  Já a ex-esposa Roselayne Elizabeth Soares, foi velada no Cemitério Municipal de Ouro Preto e o enterro realizado às 10h também no Cemitério Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.