quinta-feira, 1 de Dezembro de 2011 14:54h Paulo Reis

Homem é preso antes de praticar “uma saidinha” de banco

Além dele outros dois também participariam do crime sendo o terceiro envolvido natural de Itaúna

Um homem vindo da capital mineira foi preso na tarde da última terça-feira (29), em Itaúna, antes de aplicar um golpe conhecido como “saidinha de banco”, que consiste em furtar dinheiro de pessoas que estão saindo de agências bancárias. O crime foi notificado por meio de uma denúncia anônima que dizia que o suspeito do crime estaria conduzindo uma moto Honda CG Titan de cor preta na área central da cidade.
Por meio de um intenso rastreamento a polícia chegou até F.C.M. que ao perceber a presença dos oficiais tentou fugir do local praticando direção perigosa.


Com o suspeito os militares encontraram dois capacetes, e o mais estranho para os policiais foi descobrir que o suspeito usava duas calças, duas blusas manga longa e uma camisa de malha.
Durante depoimento o infrator informou que estava em Itaúna na companhia de mais dois indivíduos, que estavam em uma pick up cor prata, sendo um deles da cidade, porém o suspeito preso não soube dizer o nome.


Segundo F.C.M. eles estavam no município com o propósito de praticar um golpe, conhecido popularmente por “saidinha de banco” contra uma pessoa que sairia de uma das agências bancárias da cidade, transportando cerca de R$20.000,00. O autor ainda confessou que não teve contato com o envolvido de Itaúna que provavelmente seria a pessoa que ficaria no interior do banco monitorando a vítima sacar o dinheiro.
Apesar da busca realizada pelas imediações da agência não foi possível localizar os outros dois criminosos.
O suspeito foi preso e encaminhado à delegacia local e a motocicleta apreendida.


A Polícia Militar reforçou que as denúncias continuem sendo realizadas pelo telefones 181 - disque-denúncia e pelo emergência 190.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.