quinta-feira, 15 de Dezembro de 2011 10:29h Atualizado em 15 de Dezembro de 2011 às 12:57h. Paulo Reis

Criminalidade na região dos shoppings

A região dos shoppings, hoje considerada o principal pólo confeccionista do Estado, tem sofrido com o aumento das ações criminosas. A presença de “pedintes” e usuários de droga tem coagido quem tem a região como fonte de renda

Há cerca de 15 anos Divinópolis recebia um local onde se concentraria o maior número de lojas do município. Até então a maior parte destes estabelecimentos de confecção eram encontradas por toda a extensão da rua Pernambuco, centro do município.
Atualmente a região que incorpora os shoppings de confecção e diversão da cidade, somam seis prédios equipados com o que há de mais expressivo na moda nacional e até mesmo tendências internacionais.


Mas como todo progresso tem seu lado positivo e negativo, a localização destes comércios tem atraído números preocupantes de usuários de drogas e “pedintes”, ou seja, pessoas que passam praticamente todos os dias pedindo dinheiro para clientes ou fornecedores que deixam carros nos estacionamentos existentes no local.
Além da presença, a prova do uso de drogas se confirma quando é feita a limpeza do local, onde já foram encontrados por inúmeras vezes cachimbos, utilizados para o crack, dentre outros objetos de procedência duvidosa.
Mesmo diante da segurança já existente nos prédios que reúnem estas lojas comerciais, os marginais não deixam de praticar os delitos. Nossa reportagem conversou com o administrador do primeiro shopping da cidade, Laércio Ribeiro, que nos disse ser difícil controlar o fluxo destas pessoas que passam pelas dependências do local.


A segurança tem sido privada, pois a simples presença de pessoas estranhas já intimida os freqüentadores do estabelecimento, então a instrução é a de abordar alguns deles que se apresentam de forma rude para com os consumidores e transeuntes do local.
Nem mesmo a presença da sede da 7ª Região da Polícia Militar no entorno dos shoppings intimidou estas pessoas que transitam livremente por toda imediação. Apesar de ser um pedido e também investimento dos próprios lojistas que ali, naquela região fosse instalada uma unidade da Polícia Militar, como lembra Laércio Ribeiro, os resultados não tem sido positivos no que diz respeito a diminuir a incidência da criminalidade.
Diversas notificações já foram encaminhadas para a Polícia Militar que alega ser este caso, um problema social e que não há lei que ampare a retirada destas pessoas das ruas.
A segurança destes locais já foi reforçada por sucessivas vezes, devido a pequenos furtos ao patrimônio como torneiras de banheiros ou acabamentos em geral.


Outro ponto que preocupa os lojistas é a proximidade destes shoppings à um dos locais onde tem se encontrado maior número dos pertences roubados daquela região. O lugar é conhecido como Mutirão e fica praticamente do outro lado da ponte do bairro Manoel Valinhos.
Mensalmente passam pelos shoppings cerca de 25.000 pessoas, também recebem uma média de 40 ônibus de especiais. Nesse período que antecede as compras de Natal, o fluxo de usuários tem um crescimento em torno de 50% e a presença desses infratores colaboram para afastar os consumidores. E aqueles que chegam de outras cidades, infelizmente levam uma má impressão do estabelecimento, relembrou Laércio.
Este problema sempre existiu como aponta o administrador, mas se agravou após a instalação de outros empreendimentos no bairro.
Novas contratações de homens para a segurança destes estabelecimentos já foram feitas, para que, mesmo com a presença destas pessoas, o público consiga fazer suas compras de forma tranquila.


José Antônio Sobrinho é lojista em um dos shoppings há 15 anos e relata que nunca teve problemas com estes marginais que passam pelo local, porém confirma que a presença deles intimida os compradores.
Outras duas vendedoras que preferiram não se identificar relataram a nossa equipe que muitos dos clientes do local já tiveram pertences e carros arrombados na região. O medo à ação destas pessoas é reincidente. Na maioria das vezes pedem dinheiro não para comer e beber, mas, para manter o vício das drogas. Uma destas vendedoras lembrou que num determinado dia se ofereceu para pagar o almoço de uma destas marginais e a mesma simplesmente, exigiu que ela lhe desse dinheiro.


Foi realizada na Praça Governador Benedito Valadares, a conhecida Praça do Santuário, o lançamento da Operação de Natal 2011 desencadeada pela Polícia Militar. Durante a solenidade diversas pessoas estiveram presentes junto a autoridades militares locais. Em entrevista a nossa equipe, o Comandante do 23º Batalhão da PM, Tenente Coronel Júlio Teodoro, afirmou que já existem planos para segurança daquela região e que durante esta operação será intensificado o número de oficiais que resguardarão o bem-estar dos usuários dos shoppings, principalmente também, pelo local já ser conhecido pela polícia como um dos pontos que registra grande número de ocorrências envolvendo usuários de drogas e roubos.
Este ano a PM fará a segurança na modalidade a pé e contará com a presença de demais militares armados e utilizando motos, o que facilitará a perseguição aos infratores que apresentem qualquer atitude ilegal.


A Polícia Militar ainda reforçou que as denúncias muito colaboram para o combate a criminalidade e que qualquer pessoa que se sentir em estado de risco deve ligar para os telefones de emergência da PM que são o 190 e o Sistema 181 cujo solicitante não precisa se identificar e ainda recebe uma senha para acompanhar o desenrolar da denúncia.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.