quarta-feira, 23 de Novembro de 2011 09:58h Atualizado em 24 de Novembro de 2011 às 10:38h. Flaviane Oliveira

Movimento dos profissionais da educação pelo subsídio continua

O tão falado subsídio é um dos pontos em que os professores discordam do governo e para garantir que o mesmo não seja aprovado os educadores montaram campana na Assembleia de Minas. Professores de todo o estado foram convocados para estar na assembleia mi

Na manhã de ontem, o governo de Minas encaminhou à Assembleia Legislativa Estadual, nova proposta para a remuneração e para a carreira dos profissionais da Educação. De acordo com a assessoria de comunicação do governo, as mudanças garantem que todos os professores e especialistas da educação ganharão acima de R$ 1.122,00, para uma jornada de 24 horas semanais. Os professores e especialistas da Educação com licenciatura ganharão pelo menos R$ 1.320,00, ou 85% proporcionalmente a mais do que o piso nacional.


Na teoria a proposta parecia que iria agradar aos professores, mas, de acordo com a diretora do Sind-UTE, Maria Catarina do Vale, os educadores não foram informados quanto a nova proposta que seria aprovada e por isso manterão a operação tartaruga até a quinta feira (24).


Para o governo de Minas, a nova proposta significará um impacto de R$ 2,1 bilhões na folha de pagamentos dos servidores da Educação. O plano do Governo de Minas prevê a criação de uma tabela de transição com aplicação proporcional do piso nacional no vencimento básico, levando em consideração os valores vigentes na tabela do subsídio.


O tão falado subsídio é um dos pontos em que os professores discordam do governo e para garantir que o mesmo não seja aprovado os educadores montaram campana na Assembleia de Minas para impedir a votação. Catarina conta que a votação não foi realizada durante a tarde de ontem porque os professores estiveram atentos para que a lei não fosse aprovada e a mobilização segue até o fim da semana. Catarina ressalta ainda que os professores de todo o estado foram convocados para estar na Assembleia mineira a partir de hoje.

 

 

GOVERNO DE MINAS


O governo acredita que as medidas anunciadas ontem (22) irão beneficiar aos professores,  uma vez que as vantagens como biênios serão calculadas com base na tabela de transição e, imediatamente, incorporadas à remuneração única. Todos os servidores serão posicionados na tabela unificada. Os aumentos serão escalonados, em percentuais anuais, até 2015, observada a situação individual de cada servidor.


A assessoria do governo contabiliza ainda que o impacto financeiro, até 2015, na folha de pagamento do Estado será de R$ 9,8 bilhões, considerando os aumentos escalonados ano a ano, o que representa  um aumento de 58% da folha em relação a dezembro de 2010 e de quase 200% em relação a 2003.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.