quarta-feira, 7 de Dezembro de 2011 10:50h Luciano Eurides

Futuro do Cruzeiro começa pela diretoria

As possíveis mudanças no Cruzeiro podem ir do presidente a jogadores. O atual diretor de futebol do Cruzeiro, Dimas Fonseca, ainda não sabe se seguirá na diretoria na próxima gestão. Nomes de atletas começam a ser ventilados, embora nada ainda oficializado.
O dirigente espera que uma conversa com o presidente eleito, Gilvan de Pinho Tavares, possa apontar qual caminho seguirá a partir de janeiro. “Estou apertado com meus compromissos e ainda não tive tempo de resolver essa situação. O Doutor Gilvan já se manifestou, por meio da imprensa, falando que quer contar comigo, e eu fico muito honrado. Vamos conversar a respeito e, com calma, vou definir meu futuro e minha vida no Cruzeiro”, disse.
Dimas Fonseca ocupará o cargo de diretor de futebol, ao menos, até o próximo dia 31, quando será encerrado o mandato do presidente Zezé Perrella. O próprio dirigente ressaltou que seguirá à frente de todas as negociações que visam à próxima temporada do clube celeste.
Para 2012, o Cruzeiro já confirmou a contratação de três atletas: os zagueiros Mateus, que defendia a Portuguesa, e Thiago Carvalho, ainda jogador do Boa Esporte, além do lateral-esquerdo Gilson, defensor do América no último Campeonato Brasileiro.


A renovação do jogador Fabrício é uma preocupação da nova diretoria que se reúne no Rio de Janeiro com o empresário do atleta. Dessa reunião poderá sair a definição se ele fica ou não. Apesar de algumas contusões, isso impediu que ele repetisse as mesmas atuações de tempos anteriores, continua interessando.
Montillo ainda é a bola da vez nos bastidores. O jogador falou não saber de nada ainda.  “Eu não sei não falei com a diretoria. Eu sou jogador do Cruzeiro e estou muito bem aqui. Futebol é um trabalho e eu adoro o Cruzeiro, depende mesmo da diretoria”, ele tem contrato até 2015 e já teve 20% vendido e podem ser readquirido em março de 2012. O atleta tem um salário alto, e uma valorização muito grande no mercado, provavelmente uma proposta milionária pode aparecer a qualquer momento.

 

 

Montillo


A importância de Montillo no Cruzeiro pode ser dimensionada pela performance do time no Brasileiro. Mesmo com o time à beira da degola, o meia argentino era sempre o maior merecedor de elogios. Distribuindo dribles, assistências e, por vezes, gols, conduziu quase que solitariamente o Cruzeiro à 16ª posição do Nacional, uma acima da zona de rebaixamento. Sem ele, a missão teria sido bem mais tortuosa.
Depois de superar um ano repleto de contratempos, com lesões e até um problema de saúde do seu filho, Montillo resgatou em tempo a boa forma e terminou o Brasileiro com média de 6,24 e 35 jogos acumulados. Foi a sua segunda Bola de Prata – a primeira foi em 2010.
Laureado pelas mãos de Belletti, Montillo, completamente rouco, resultado provável da goleada cruzeirense por 6 a 1 frente o Atlético-MG, valorizou a premiação. “Receber um prêmio num campeonato com jogadores de tanta qualidade como o Brasileiro é gratificante.”
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.