sexta-feira, 25 de Novembro de 2011 10:50h Luciano Eurides

Cuca treina com 12

Ontem o técnico Cuca comandou um trabalho tático e começou a armar a equipe para enfrentar o Botafogo, no domingo, às 17h, na Arena do Jacaré. Na primeira parte da atividade, o treinador reuniu 12 atletas e conversou no centro do campo.
Num segundo momento, Cuca armou o time no 4-4-2 com: Renan Ribeiro; Serginho, Leonardo Silva, Réver e Richarlyson; Pierre, Fillipe Soutto, Daniel Carvalho e Carlos César; Bernard e André. Essa escalação foi usada no jogo passado contra o Corinthians.


Neto Berola, que estava com o grupo durante a conversa, ficou de fora apenas observando. Na sequência, o treinador optou pela entrada do atacante no lugar de Carlos César. Com isso, o time passou a atuar no 4-3-3, com Berola, Bernard e André adiantados.
Ao final da atividade, Cuca voltou a reunir os 12 atletas e conversou mais um pouco. Enquanto isso, os outros jogadores participavam de um trabalho técnico no canto do campo. Antes do confronto com o Botafogo, o treinador comandará mais dois treinamentos e pode definir qual time mandará a campo.


Revelação do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro, o garoto Bernard comemora o apoio dado pelo torcedor alvinegro ao time, que vem lutando para escapar do rebaixamento. Para o jogo de domingo, contra o Botafogo, na Arena do Jacaré, os torcedores do Galo esgotaram em poucas horas todos os ingressos colocados à venda. “Toda ajuda é válida, ainda mais em momento de decisão. É um jogo muito importante, contra o Botafogo, que vai brigar até a última rodada. A ajuda da torcida, não só nesse jogo, mas nos últimos jogos, foi muito importante para nós. Então, espero contar também com os 18 mil lá, para ajudar nessa batalha também, que vai ser um jogo muito difícil”, disse.


Questionado sobre o fato de o Galo enfrentar dificuldades quando duela com o Botafogo, e de ter vencido os cariocas pela última vez em 2008, Bernard afirmou que chegou o momento do Atlético-MG acabar com tabus, assim como ocorreu no Engenhão, estádio onde o time mineiro jamais tinha vencido e acabou derrotando o Fluminense nesta temporada. “A gente conseguiu quebrar um tabu que tinhamos lá no Engenhão, que eram os jogos que os mineiros nunca tinham vencido lá, e com o Botafogo não conseguimos vencer nos últimos jogos. Mas cada jogo tem uma história. É um jogo diferente agora. O time deles precisa dos três pontos para chegar na Libertadores e a gente precisa dos três pontos para acabar de vez com essa história do rebaixamento. Vamos fazer o nosso jogo sem pensar nesse negócio de tabu para poder conquistar os três pontos”, comentou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.