terça-feira, 13 de Dezembro de 2011 13:56h Luciano Eurides

Cruzeiro quer Oswaldo do Ceará

Houve no Cruzeiro gerações de mandatários. Por último os irmãos Perrella. Passa a dirigir o Cruzeiro Gilvan de Pinho Tavares. A posse será dia 16. Assim o time está vivo e azul. O empresário do Montillo aconselhou o Cruzeiro a vender o jogador para o Corinthians, embora seja desejo do presidente ficar com o jogador. O salário de Montillo, até mesmo foi anunciado na capital paulista como sendo de 300 mil reais.
O presidente eleito do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, confirmou que a equipe já tem um reforço a nível de seleção contratado para a próxima temporada, mas o dirigente faz mistério e não revela o nome do jogador. Segundo o cartola, o atleta, que não atua no futebol brasileiro, vai se apresentar na Toca da Raposa em 3 de janeiro.


Apesar de não falar o nome do jogador, Gilvan Tavares garante que o negócio já está fechado. Até o momento, as únicas informações conhecidas são que o atleta tem 24 anos, não é brasileiro e atua no exterior. O nome do jogador é mantido em sigilo a pedido do empresário do atleta e também porque ainda falta a realização de exames médicos.
Enquanto tem gente chegando, alguns podem deixar a Raposa. O volante Fabrício, que tem contrato com o Cruzeiro até 31 de dezembro, não acertou a renovação e deve defender o São Paulo em 2012. Além dos salários, o tempo de contrato foi outro empecilho para a permanência de Fabrício, que queria um vínculo de três anos, enquanto o time mineiro ofereceu apenas dois anos de contrato.
Com a camisa celeste, Fabrício atuou em 153 oportunidades e anotou 10 gols, sendo um no clássico contra o Atlético-MG na última rodada do Brasileiro, que ajudou a Raposa, para que o time permanecesse na elite do futebol brasileiro. O acerto com a equipe do Morumbi ainda não é oficial, mas é dado como certo pelo jogador, que deixou claro que queria ter ficado no Cruzeiro.


Quanto a vinda de Osvaldo , o presidente do Ceará ainda tem direito sobre o jogador, disse ter ficado chateado por nem sequer ter sido procurado. Depois de Fabrício e a hipótese de Fábio ir embora, a saída de Montillo e a não vinda de Oswaldo não deixa a situação com muito controle para o presidente eleito.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.