Cidades >
Falta de leilões deixa pátios de veículos lotados em Divinópolis
Quarta-feira, 22 de maio de 2013 às 6h 34 - Atualizado às 6h 39 - Por: Mariana Gonçalves
Em muitos pátios os carros ficam empilhados uns sobre os outros devido a falta de espaço nestes estabelecimentos.

Carros e motos empilhados uns por cima dos outros. Cenas como essa podem ser vistas em vários pátios e guinchos da cidade, o motivo? Há alguns anos o Departamento Nacional de Trânsito (Detran) deixou de realizar os leilões, que tinha por objetivo dar um destino novo a esses veículos apreendidos pela Policia ou tomados pelos bancos por causa de alguma pendência. Devido a falta de leilões vários locais credenciados e até mesmo descredenciados pelo Detran estão com superlotação, em alguns estabelecimentos como o reboque do Sr. Antônio Alves Filho existem carros que já estão lá há cerca de 13 anos.

O proprietário do local conta ainda que por causa disso descredenciou o seu estabelecimento junto ao departamento de trânsito, “pedi que eles tirassem um pouco desses veículos daqui, meu advogado inclusive foi conversar com o delegado mas na época este pediu que eu procurasse outros pátios para saber a possibilidade de outros locais guardarem esses carros, ninguém quis. Então resolvi me descredenciar porque essa foi até um das coisas que eu pedi o advogado que dissesse ao delegado, que caso os veículos não fossem retirados eu iria me desligar do serviço”conta.

Todas as vezes que um veículo é apreendido, as empresas credenciadas são acionadas e fazem o recolhimento, porém o valor das multas para liberá-los é tão alto, que muitos proprietários preferem deixar seus carros apodrecendo nos pátios.

Em contrapartida, leis dos órgãos competentes como o Detran impedem que os donos destes pátios vendam as carcaças. Mesmo estando fora do serviço Antônio toma conta de dois pátios lotados, pra ele chega a ser desvantagem já que os veículos só tomam espaço em seu estabelecimento e o município não oferece nada em troca desse cuidado. “Somos responsáveis pelos veículos que estão aqui e não ganhamos nada com isso. Os carros aqui comigo estão todos completos, não falta peça nenhuma, mas isso já não acontece em outros lugares porque tem muito roubo de peça, e aí nesses casos a culpa fica para nós que estamos responsáveis”explica. 
Mesmo não faltando peças a equipe de reportagem constatou em visita ao local que grande maioria dos veículos estão cobertos pela poeira, expostos ao sol, à chuva e sereno o que com o tempo acaba deixando os veículos em um péssimo estado de conservação.

PROCESSO BUROCRÁTICO

Para o veículo ir a leilão este precisa passar por uma vistoria além de ser necessária a verificação dos  documentos para a identificação de restrições judiciais e se as numerações do chassi e do motor são originais. Em matérias anteriores à Gazeta o então responsável por este setor, delegado Fernando Vilaça disse que a realização do leilão de veículos apreendidos não depende somente do Detran de Divinópolis mas sim do Detran de Belo Horizonte que responde também pelo município.

A reportagem entrou em contato com o Detran da capital mineira e segundo informações repassadas, os leilões são realizados conforme a demanda do município, mas em Divinópolis devido ao fato de muitos pátios terem sido descredenciados o órgão precisa realizar um estudo para verificar a atual situação e assim organizar o leilão.
A reportagem tentou diversos contatos com o Departamento de Trânsito em Divinópolis, mas até o fechamento desta matéria não obtivemos nenhum retorno.

Fotos

Clique na imagem para ampliar.
Compartilhes
Leia Mais